Desde a classificação da Seleção para a Copa do Mundo de 2018, muitos brasileiros começaram a buscar informações sobre viagens para a Rússia.

Para aqueles que desejam ir ao mundial de seleções é bom começar a se organizar, principalmente por ser um país onde é recomendável planejamento.

 

Dicas para seu planejamento:


Brasileiro precisa de visto?

Desde 2010, brasileiros não precisam mais de visto para ir para a Rússia, a não ser que a permanência no país seja de mais de 90 dias. É preciso apenas ter o passaporte com validade mínima de 6 meses, a contar da data de saída da Rússia. O visto é obrigatório para a maioria dos cidadãos europeus, por exemplo, mas, durante a Copa do Mundo, essa exigência deve ser derrubada: o presidente Vladimir Putin assinou uma lei em 2016 que isenta da necessidade do documento todos os turistas com ingressos para os jogos.

Só é preciso ficar atento a algumas exigências burocráticas. Ao entrar no país, por exemplo, as companhias aéreas entregam aos passageiros um Cartão Migratório, que deve ser preenchido e guardado por toda a viagem e apresentado na saída do território russo.

Além disso, se o turista permanecer mais de sete dias em uma mesma cidade russa, deve fazer um Registro Migratório, que é providenciado pelo hotel ou pelo anfitrião que recebe o estrangeiro. Para cada cidade em que a estadia for maior que 7 dias, é preciso se registrar novamente.

Mais informações sobre documentação neste link do Itamaraty.

É obrigatório apresentar seguro saúde ou o certificado de alguma vacina?

Não é obrigatório – apesar de ser altamente recomendável – apresentar seguro saúde de viagem na entrada do país. Também não é necessário tomar vacinas específicas, mas a Embaixada Brasileira em Moscou recomenda que viajantes oriundos de áreas epidêmicas (como algumas regiões no Brasil com epidemia de febre-amarela) tomem a vacina 10 dias antes da viagem e emitam, ainda no Brasil, o cartão internacional de vacinação.

Quanto tempo é bom ficar?

O mínimo recomendado é uma semana – mas, por ser um país distante do Brasil e com um grande território, quem puder ficar ao menos 10 dias terá mais tranquilidade para se deslocar entre as cidades, ver os jogos e passear.

O país é seguro?

A Rússia é considerada um país seguro, com poucos problemas de violência urbana, assaltos à mão armada e outros roubos do tipo. Turistas só devem ficar atentos aos batedores de carteira, que agem principalmente em lugares de grande circulação de pessoas.

Incidentes como o atentado ao metrô de São Petersburgo no início de abril deste ano, pode ter aumentado o medo de ataques terroristas. Sobre o tema, a Embaixada Brasileira diz que “o risco de atos de terrorismo existe, na Rússia e em outros países europeus”, mas “as autoridades russas até o momento não emitiram nenhum alerta em relação a áreas de risco”.

“Ao visitante brasileiro é necessário saber que a Rússia possui território muito grande, e que existem algumas regiões (fora dos centros onde acontecerão os jogos de futebol) com potencial de conflito belicoso, como por exemplo na fronteira com a região de Donbass na Ucrânia e no Sul na região da Chechênia”, completou o Itamaraty.

Fabrício Vitorino lembra de outro aspecto com o qual é preciso ter cuidado: as manifestações de racismo, xenofobia e homofobia. “Na Rússia há problemas sérios com isso, então recomenda-se cautela a negros, asiáticos e gays. Na Copa, os russos devem estar mais abertos, mas, ao sair do circuito turístico, é melhor tomar cuidado”, alerta.


Quanto custa uma viagem para a Rússia?

Estima-se que o preço do voo de ida e volta na época da Copa não varie muito em relação aos valores atuais, que ficam em torno de US$ 1.500 (cerca de R$ 4.900). Já as tarifas de hotéis e outros serviços devem aumentar consideravelmente durante o megaevento, o que dificulta fazer uma estimativa de gastos neste momento.

Atualmente, a diária de um hotel 4 estrelas na Rússia fica em média R$ 150 por pessoa em quarto duplo.

 

Pacotes com ingressos

A compra de ingressos para os jogos é pessoal e deve ser feita diretamente através do site da Fifa. Os interessados tinham até 12 de outubro para se inscrever para o primeiro sorteio eletrônico, de ingressos vendidos por estádio ou seleção, ainda sem definição de adversários. Nessa fase já foram solicitados 3.496.204 ingressos.

A segunda fase de inscrições começa em 5 de dezembro, após o sorteio das chaves, quando já serão conhecidos os adversários e os locais de cada jogo da primeira fase do torneio. Existirá ainda uma terceira fase, de vendas de “último minuto”, aberta em 18 de abril.

Um ingresso para o jogo de abertura tem valores entre 13.200 e 33 mil rublos (R$ 735 a R$ 1840, aproximadamente) e a final custará o dobro. As opções mais baratas, para as partidas de primeira fase, variam de 6.300 a 12.600 rublos (cerca de R$ 350 a R$ 700). Russos irão pagar menos em todos os jogos.

 Que companhias aéreas levam até lá?

Não há voos diretos do Brasil até a Rússia, mas diversas empresas aéreas levam até lá, a maioria com escala em países europeus ou nos Emirados Árabes Unidos. O tempo total de viagem, contando a espera na conexão, costuma variar entre 17 e 35 horas.

Como se deslocar entre as cidades-sede?

O trem é a principal recomendação de quem conhece bem o país. “Os trens na Rússia têm muita estrutura. Tem para todos os orçamentos, desde os econômicos até os mais confortáveis. São viagens relativamente rápidas e com muitas opções de horários e destinos”, descreve Lorena Santana.

Segundo Lorena, o melhor é comprar as passagens com antecedência pela internet. Existe uma versão em inglês do site oficial do sistema de trens russo.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *